segunda-feira, 12 de março de 2012


"Você pode adiar, mas o tempo não posterga."
Benjamin Franklin


    Encostei-me na cadeira e suspirei. Confesso que, por contínua estupidez, esperei por mim durante horas, observando a lua, sob a insípida noite que abraçava a ténue esperança de um reencontro. Talvez seja um mecanismo de defesa esta mania de achar que me perdi de mim, pois enquanto não me encontrar, saberei viver neste espaço de tempo vazio. Sabe Deus o que poderia eu encontrar em mim - uma decepção, possivelmente. Talvez seja por isso que me deleito nas noites frias, de cigarro na mão, absorto pela atmosfera de solidão e misticidade. Talvez seja uma forma de imortalizar a minha existência, numa contínua busca sem fim. Talvez...

Afonso Costa

5 comentários:

sonharacordada1 disse...

Adorei! :D A tua escrita é muito cativante, envolvente e muito introspetiva.

Moonlight disse...

Afonso,

Talvez....esse seja o nosso mal...perdermo-nos de nós mesmos na esperança que alguêm ou algo nos encontre e nos liberte para uma nova realidade....talvez....sejamos nós que nao queiramos ser encontrados...........talvez....

Bj com luar

Francisca. disse...

Adorei.

joana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joana disse...

muito obrigada afonso! e o teu blog é um poço de descanso