sexta-feira, 28 de janeiro de 2011


«Se algum dia me transformar em vento, seríeis capaz de me encarar como aquela essência indomável que a natureza quer junto de si, e me perdoar por me ter ido embora?»

Afonso Costa

15 comentários:

Paula disse...

é inevitável não partir, nem que seja para lado nenhum! (.

Catarina disse...

Simplesmente maravilhoso e é claro te perdoaram por teres de ir embora mas mesmo assim continuam a encarar isso com a mesma essência de antes.

Beijinho *

Jessica disse...

as tuas fotografias são fantásticas, adoro :)

Moonlight disse...

Afonso,

A nossa essência selvagem que por vezes no chama...nos faz mover montanhas em busca da verdadeira liberdade..da verdadeira essência que vive bem cá dentro de nós.
Só não perdoará quem não entender.

Bj com luar

AF disse...

adorei a frase e a fotografia ;)

Por entre o luar disse...

Adorei o conjunto (frase e fotografia) ... =') O que interessa é estar disposto a uma constante partida, nem que seja uma partida interior * O perdão ... esse será dado pela razão da partida, e mais ainda, pela necessidade desta !

Beijinho Afonso ^^

Beatriz disse...

Gostei!

Pés de bailarina disse...

Leva é a felicidade contigo e aí todos te perdoaram :)

Beijinho da Francisca*

Anónimo disse...

" We cannot direct the wind, but we can adjust the sails" - Jimmy Deam

Nunca te esqueças que seja para onde for que o vento te levar, os amigos irão sempre ao teu encontro! :)

Beijinhos
Carmen (Ká)

Gabs disse...

Fotografia muito bonita! E não há grandes preocupações com o vento, que como parte da natureza que é, tudo o que leva acaba por trazer de volta, de uma forma ou de outra :)

Daniela* disse...

Antes de mais, muito obrigada pelo retorno do comentário !:) Contudo não sei se a tua satisfação ao ler o que eu escrevi era relativamente ao meu posto ou aquilo que disse em relação ao teu blog (q e' realmente maravilhoso)!

Adoro cada post teu ! Tenho seguido diariamente, embora que com pouco tempo e ousadia para comentar cada um deles!

Beijinho*

Ana Dória disse...

É da nossa natureza a partida. Mas é contra ela perdoar o tão inevitável abandono.

U disse...

Só se me mandasses o moleskine, de vez em quando. :)

Carolina Duarte disse...

o partir costuma ser bom, costuma ser um sinal de libertação.
obrigada pelos comentários ao blog. é bom saber que alguém aprecia o meu trabalho.

beijinho

*flor* disse...

O nosso comum destino é chegar e partir...

beijinho*(=