domingo, 15 de agosto de 2010


"A ferida pode ser aberta num abrir e fechar de olhos. A cicatriz pode nao se fechar numa existência."
Antonio Gomes Lacerda


Quando acedemos àquela nossa divisão privada a que chamamos de mente e vasculhamos os pensamentos e as memórias, escavando um buraco por entre eles, poderemos encontrar cicatrizes de um passado recente ou longínquo. Não interessa há quanto tempo foi nem o que aconteceu depois disso que pudesse compensar tudo o que aconteceu. Na vida as coisas funcionam à base de peças, de suportes e encaixes, e cada situação é uma situação diferente, pelo que nada poderá compensar as falhas que a vida nos deixa. Uma cicatriz é uma marca profunda, altera a nossa visão, os nossos comportamentos e as nossas atitudes, muitas das vezes, altera profundamente a nossa vida. E é quando achamos as cicatrizes que ficamos a pensar. Diversas questões se põem, caso a cicatriz esteja sarada. Caso contrário, se por trás da cicatriz estiver uma ferida ainda aberta, nenhuma questão se ousará a pôr. Tapamos o buraco com os pensamentos e memórias do passado que retirámos de lá e deixamos tudo aquilo na imensa confusão em que estava, saindo da divisão privada a que chamamos de mente, sem lá querer voltar nunca mais, deixando que o passado fique bem tapado por outras memórias, conquanto, a interferir na nossa vida, dia após dia, até ao momento em que a desarrumação explode e o impensável acontece. Nos meus poucos anos de vida, já vi muito acontecer, e muitos que deixaram a desarrumação chegar a um ponto insustentável. Uns suicidam-se, outros nunca serão felizes, enganando a si e aos outros, convencendo-se de que são realmente felizes... ou nem sequer pensam nisso.

Afonso Costa

6 comentários:

sribeirodasilva disse...

É o erro de muitas pessoas, não quererem sequer pensar nisso e passarem por cima de tudo. As feridas são para sarar, para deixar fechar e cicatrizar :)

Beatriz disse...

Gostei muito!:)

Joana disse...

Excelente reflexão no teu texto. Infelizmente, a maior parte das pessoas perfere nem pensar...

Beijinhos

Paula disse...

'Pensar incomoda como andar à chuva/Quando o vento cresce e parece que chove mais.'
Alberto Caeiro

Ás vezes é melhor deixar sarar ir fechando a ferida e só depois aceder á mente caindo sobre nós questionando tudo tal e qual como uma criança. O problema é que como disseste uma cicatriz pode não sarar numa existência!

momentos disse...

Neste dia foi precisamente isso que senti, uma cicatriz a abrir...que nunca mais fecha...!
Um esforço tão grande e a tornar-se tudo tão presente...e o meu "eu" que não reconheço!

Gostei imenso do blog, na maior parte das palavras e pensamentos acabo por me identificar!
Um bem haja pela coragem de expressar...

Maxwel Quintão disse...

tudo tem o seu tempo, as feridas também precisam do seu, de nada vale ignorar!