domingo, 11 de outubro de 2009

[Foto: Jardim Palácio de Cristal, Porto – Março de 2009]

Porto, Sábado, 10 de Outubro de 2009
Contemplo de cá de cima a vida lá em baixo, a azáfama de um mundo distante, e fecho, por instantes, os meus olhos. Como sempre, solto os pensamentos e sinto apenas o vento a deslizar na minha cara. Eu sabia que conseguia. Na verdade, nem nos mais profundos momentos de desespero eu tinha assassinado toda a minha esperança de ser feliz. Nem quando a palavra "Fim" se mostrava uma pacata e esperada saída, talvez a melhor saída para quem estava cansado. E agora, ao olhar para a subtil beleza de uma cidade que se prostra aos meus pés, acabo por me sentir realizado. Estou feliz. Sem dúvida nenhuma que sou uma pessoa feliz, e que essa felicidade se foi construindo dia após dia, não sendo vista como um objectivo, mas como os meus próprios passos: "Saborear cada momento, sentir o vento na cara, deitar na relva e aproveitar cada raio de sol, ouvir os pássaros cantar e o rebentar das ondas do mar nos rochedos, sentir a vida, e não apenas vê-la passar." Estou feliz, e sinto-me realizado. Porém, porque uma moeda tem sempre dois lados e não se os pode separar, acabei agora por sentir medo, um grande medo que me abalroa uma inconstante instabilidade que caracteriza o meu dia-a-dia. Não tenho dias iguais uns aos outros, não tenho rotina, vou para onde quero, com quem quero, à hora que quero, meto uma mochila às costas e parto em busca de conhecimento, - do mundo e de mim próprio -, de conviver com os meus amigos, parto em demanda da minha liberdade espiritual e física e porque viajar me está no sangue. Sou inconstante e só sei ser feliz na instabilidade, nas fugas à rotina, no meu mundo que me fascina e me faz ter orgulho em mim.
Daqui de cima contemplo o mundo e este diz-me que sou feliz. Eu sei que sim e, no entanto, hoje acordei com medo do que possa vir a acontecer amanhã. É tão difícil ser feliz, mas tão fácil perdermos tudo de um momento para o outro.

Afonso Costa

17 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

O medo é o nosso maior grilhão. E com um texto tao belo que só pode revelar uma paisagem interior bela, o medo não pode ofuscar a lz... e a paz e o amor do momento e do Hoje. Não. É a tua liberdade interior. Tal como dizes. Gostei muito... como sempre :)

aquele abraçãaao :)

Mara disse...

«É tão difícil ser feliz, mas tão fácil perdermos tudo de um momento para o outro.»

Tenho pensado muito nisto, e acreditado muito nestas palavras.
Sê feliz Afonso =D

Para além de escreveres belissimamente vê-se que és um apaixonado por fotografia. E ainda bem, porque assim brindas-nos com fotos destas ;)

Brid disse...

Não tenhas medo :) Viver assim é viver em plenitude. Planear o dia de amanhã surge muitas vezes como um cortar da liberdade e do momento espontâneo, da felicidade genuina. É verdade que nem tudo pode andar ao acaso, mas aquilo que puder... deixa.

Foto excelente. Pergunto-me que máquina usas xDD

Alexandra disse...

Não tenhas medo, se neste momento és feliz é isso que interessa :) *

Por entre o luar disse...

Não tenhas medo, a vida só quer que sejas feliz =)

Gostei de tudo, especialmente da foto e da parte que diz : "É tão difícil ser feliz, mas tão fácil perdermos tudo de um momento para o outro."

Beijinhos Afonso*

filipa disse...

medo, medo. antónimo de vontade :$

*Ariel* disse...

Nao quero ser repetitiva, mas realmente a última frase está sábia. Acho que o medo nos mantéma lerta a preparados - se não tiveres medo é porque o que vêm aí não te é importante, é porque não há nada que se possa aproveitar daí. ausencia de medo não existe, existem coragem e adrenalinas que conseguem ser superiores ao medo que tantas vezes nos atormenta e que na quantidade ceta só nos faz bem. Mais - se vivesses sempre feliz e sem receios acho que a vida também nao tinha grande graça :b

Um beijinho e um até breve Afonso :)*

Ana Monteiro disse...

Desculpa a ausência!

És feliz! Não comeces já a pensar no depois. Um passo de cada vez. *

Paula disse...

O teu texto e a tua fotografia fizeram-me sorrir. Tenho uma paixão pela natureza e por me perder em paisagens pensativas como essa e era capaz de ficar sozinha a olhar, respirar e sorrir para uma por um tempo indeterminado. São estas belezas que me fazem acreditar que se de facto a perfeição existe esta na linha do horizonte o sitio onde o ceu, mar e terra se abraçam como eternos amigos. Sao estes momentos que me fazem feliz.

p.s - desculpa invadir assim o teu blog para tal testamento :/

Paula disse...

O teu texto e a tua fotografia fizeram-me sorrir. Tenho uma paixão pela natureza e por me perder em paisagens pensativas como essa e era capaz de ficar sozinha a olhar, respirar e sorrir para uma por um tempo indeterminado. São estas belezas que me fazem acreditar que se de facto a perfeição existe esta na linha do horizonte o sitio onde o ceu, mar e terra se abraçam como eternos amigos. Sao estes momentos que me fazem feliz.

p.s - desculpa invadir assim o teu blog para tal testamento :/

Carla disse...

Viver não é fácil, mas se és feliz já construiste uma parte muito boa da vida
beijos e boa semana

mary ♥ disse...

e é precisamente isso que dá sentido à vida ;P
adoro, simplesmente saboreio com prazer e vezes sem conta cada um dos teus textos. este está fantástico.

Lune Claire disse...

Carpe diem, já se dizia.
Gostei bastante do blogue.

Passa também no meu e deixa a tua opinião.

Os melhores cumprimentos.

M. disse...

O fácil não dá que pensar.
O que não dá que pensar não faz crescer.
Não queiras o fácil, Afonso. Sê feliz, até quando o for dificil - porque o é. E assim é que está bem.

E está muito bem este teu canto!

Qel disse...

«É tão difícil ser feliz, mas tão fácil perdermos tudo de um momento para o outro».
Estás tão coberto de razão como os bolos de chocolate que a minha mãe faz estão infestados de uma camada de (mais) chocolate derretido.
O 'desafiante' nesta coisa da felicidade, é que ela não é fácil não e só assim é que temos aquele gostinho especial quando a alcançamos, só assim é que nos dá um gozo fora de série e um prazer enorme (tal como lambusar os dedos depois de não resistir à tentação de provar um bocadinho do bolo de chocolate xp).
Nada que valha a pena é fácil, leva sempre esta máxima contigo tal como eu o faço.
Um beijinho *

Marianita disse...

É certo que o amanhã é sempre uma incognita, mas não tenhas medo.
"É tão difícil ser feliz, mas tão fácil perdermos tudo de um momento para o outro." esta destaca-se bem.
sê feliz sem ter medo =)
beijinho

Spiritual disse...

É difícil ser-se feliz porque não se é feliz, apenas se está feliz. A felicidade não tem de ser um objectivo, mas se for realmente um caminho, um dia transformar-se-á em algo permanente. ;)