terça-feira, 19 de junho de 2012


"Viajar é mudar o cenário da solidão."
Mário Quintana


Último dia - 30 de Março de 2012
(13h10)

    Piso a areia da praia pela última vez... Os momentos de solidão aproximam-me de mim mesmo, numa entrega que é solicitada pela situação, pela necessidade que o ser humano tem de se sentir e se encontrar. Apesar disso, não era esse o meu objectivo; fugir de mim era a solução.
    Os meus pés soterram-se na areia fresca da beira-mar enquanto as pessoas esvaziam a praia.
   Viajar não é, nunca, sinónimo de nos afastarmos dos nossos problemas. Quanto muito, pode marcar uma quebra, abrandar processos, dar-nos tempo de podermos reflectir e mudar (ou tentar mudar) alguma coisa. Assim, e para onde quer que eu vá, a minha sombra perseguirá o seu propósito, molestando tiranicamente todos os minutos da minha vida. E para onde quer que fuja, acabarei sempre por me encontrar numa qualquer esquina da cidade, de frente e perfurando-me com um olhar reprovador de quem sabe que fugir não é a solução.
    As ondas rebentam com robustez, fazendo tremer o chão de areia que cobre agora os meus pés.
   Para onde quer que fujamos de nós, o facto é que acabaremos sempre por nos encontrar. Por vezes penso que mais vale continuarmos perdidos.

P.S.: As últimas 7 publicações dizem respeito aos 7 dias da minha viagem, a relatos que fui escrevendo, pensamentos que fui passando para o papel enquanto viajava exterior e interiormente.

Afonso Costa

1 comentário:

Catarina' disse...

Nem acredito que estive tanto tempo sem passar por este blog maravilhoso :o
Deliciei-me mais uma vez a ler os teus textos, lindos!