quinta-feira, 5 de janeiro de 2012


"As palavras são os suspiros da alma."
Pitágoras

Assim manda a tradição por 'este Lado':
 - 2008 foi...
 - 2009 foi...
 - 2010 foi...

E 2011 foi…

Derrota, tristeza, mudança, viagens, descobertas dolorosas, Inês, novas amizades, escrita, Tânia, fotografia, Lisboa, cartas de amor, solidão, pensamentos, objectivos, Zeca, discussões, fraqueza, luta, Coimbra, conflitos, instabilidade, Boavida, apoio, promessas, Una, Festival Sudoeste 2011, noites de verão, Cabo Verde, "nunca desistas dos teus sonhos, Afonso", Família, faculdade, Maria Miguel, surpresas, abraços, sorrisos, nostalgia, Bernardo, olhares, conforto, Pim, Super Bock Super Rock, confrontos, momentos de desespero, momentos de extrema felicidade, rir até chorar, Mafalda, 'Inception', orgulho, desilusões, Psicologia, Sonhos, sedução, desejos, cafés, Zambujeira do Mar, Jorge, corte de relações, Joana C., aprender com os erros, perdão, ódio, palavras, amor, reviravoltas, Carmen, Rio Maior, poesia, conquistas, surpresas de aniversário, conflitos internos, Zé Carlos, música, saídas, exageros, Fortina, perda de liberdade, vícios, momentos inesquecíveis, Margarida C., jantares, cozinhados, beijos, toques, defeitos trabalhados, virtudes conquistadas, Dário, chuva, mar, gestos eternizados, Algarve, Alexandra S., Sol, Fim, Porto, rostos, recomeço, fim de ciclos, Margarida T., pessoas importantes que saíram da minha vida, Miguel, pessoas que reentraram, Sofia, fogo de artifício, vitória...

    Um ano depois do ano da revolução, a perda, a derrota; do auge, a decadência... 2011 foi o ano da derrota e da luta pela reconquista. Existem, na vida, situações imprevisíveis, muitas vezes porque não nos conhecemos a nós próprios, nem aos outros, nem a vida. Talvez não conheçamos nada da vida. É por isso que ela é tão surpreendente, ora porque nos dá abraços, ora porque nos deixa derramados no chão, partidos em cacos como se de uma louça frágil nos tratássemos. Mas além da chuva, o sol também nos presenteia com o momentos de felicidade, onde os sorrisos nos alimentam de força para nos levantarmos. Não conheço a eterna derrota, pois sei que cada um de nós esconde uma força interior que se revela nos momentos mais difíceis. Há-que descobri-la. Há-que dar-lhe uso.
    2012 será diferente do ano passado, assim se dispõe minh'alma na expectativa, enquanto me debruço sobre o peso do passado para continuar a conquistar o presente.

Um feliz ano novo,

Afonso Costa

2 comentários:

Paula disse...

No outro dia passei por cá e pensei mas o afonso este ano não seguiu a sua própria tradição. loool

Nem todos os anos são iguais nem sempre trazem o que nós queremos que traga ou o que nós tínhamos pedido. Vai-nos pondo à prova. E nós como actores principais da nossa própria vida andamos à sua mercê, essa é cada vez a minha certeza. Sim, podemos lutar por aquilo que queremos, podemos mudar, podemos muitas coisas. Mas naquele momento em que apesar de imperfeições achamos que está tudo óptimo...ela está lá presente como sempre para que mais uma vez nos conscialisemos do quão frágeis podemos ser nas suas mãos. E sofremos e custa mas continuaremos a seguir ás vezes em frente outras para os lados, outras para trás outras, outras simplesmente não seguimos. Mas vivemos, lutamos fazemos merecer a viver...e só por isso independentemente de tudo já vale a pena.
(:
(e desculpa o testamento)

Ana disse...

Obrigada e igualmente^^ [atrasados] :s