segunda-feira, 31 de outubro de 2011


"Confiar nos homens é já deixar-se matar um pouco."
Louis Céline

Foto daqui

    Quem és tu? Que te retalhas de escrupulosas dubiedades, que usas a sacra alma d'alguém que promete verdade e te despes dela logo no instante sequente para te vestires do ópio e do egoísmo que te alimentam o vazio de que foste vítima ao longo da tua vida. Não obstante, não me detenho a questionar se és tu uma vítima ou o próprio criador desse despojo que te deixa constante e necessariamente na ponte entre o bem e o mal? É escusado acreditar que o ser humano é somente bom ou somente mau e é, ainda mais, escusado ignorar que a vida se rege pela oposição entre o bem o mal. O funcionamento mental humano é caos e tentativa de resolução. E tu és caos, mas serás tu digno da minha mão, do meu conforto e do meu abraço nesse teu Inverno psicológico? Serás tu a ponte digna de confiança entre aquilo que é a minha singularidade e a nossa amizade?
    Quem és tu?

Afonso Costa

2 comentários:

DÉBORA disse...

gostei!

Ana Dória disse...

Deus meu, Afonso, este registo está bestial!