terça-feira, 6 de julho de 2010


"True love meant that you care for another person’s happiness more than your own, no matter how painful the choices you face might be."
Savannah Lynn Curtis (in 'Dear John') 

Foto: Google; Constelação de Orion

Caminhava pelas pedras da calçada na ansiedade de algo que me perturbava, sem saber do que se tratava até que olhei para o céu e lembrei-me de que sempre que sinto falta de algo sem saber do que se trata é porque perdi algo muito importante sem que me tenha dado conta. Mas pior mesmo do que a sensação de perda é saber que não fizeste absolutamente nada para que isso tivesse acontecido. Então, na ânsia da revolta tentei conformar-me com o sucedido e convencer-me de que a única pessoa de quem preciso para ser feliz sou eu mesmo e mais ninguém... Mas é mentira. Não vale a pena esconderes os factos debaixo do tapete, pois certamente um dia tropeçarás nele e cairás de cara na verdade. E é um facto que tu, sim tu, és uma pessoa extremamente importante para mim, desde muito antes de te conhecer, desde aquele mesmo tempo em que apenas sabia da tua existência e tu da minha. Tempos que vieram dar lugar a outros... Dos quais sinto falta. E nada acontece por acaso, mas se aquilo que aconteceu apenas teve o pretexto de te afastar de mim, quiçá retirar-te da minha vida, então que seja passado rasgado e queimado e nunca mais relembrado, pois nada do que eu havia pedido passava pelo facto de te perder e jamais pude imaginar que escolhesses esse mesmo caminho... Mas é mesmo assim e águas passadas não movem moinhos. Pois que não voltes nunca mais se é para partires: os caminhos escolhem-se sem que nos devamos arrepender deles... Olhei para o céu uma última vez antes de entrar para casa e disse para o ar: "sinto saudades tuas sabes?" Não sabes.

Afonso Costa

16 comentários:

daniel disse...

adoro o filme (:

Alguém... disse...

Não devemos arrepender das nossas decisões, e devemos dizer a quem sentimos saudades que sentimos a falta delas :)
Mas o resto torna tudo mais dificil.

Beijinho*

Por entre o luar disse...

Gostei muito desse filme e amei o livro... =)

Gostei do texto... simples e directo, mas muito profundo*

Paula disse...

E as escolhas certas são tão dificeis de percorrer.

lá love disse...

o teu blog é sem dúvida o melhor blog que eu já vi! adoro tudo o que escreves e tudo o que consegues despertar em mim. és sem sombra de dúvida fantástico!

maria eduarda disse...

estamos a tratar disso :') obrigada.
quanto ao teu texto : está cheio de razão, replecto de sentimento ( como sempre ) e eu contínuo a fascinar-me com a maneira como usas as palavras. parabéns, e continua

Beatriz disse...

Adorei o filme e este texto está lindo!*.*
Concordo plenamente contigo, mas por vezes é difícil saber qual é o caminho certo a percorrer e muitas vezes arrepende-mo-nos das escolhas que fazemos. No entanto, a vida é mesmo assim e temos vivê-la da melhor forma possível, uma vez que nada acontece por acaso.
Bj

Catarina disse...

Adorei o filme e o texto que escreveste. Não devemos arrependermo-nos daquilo que foi vivido. A única coisa que sentimos é saudade daquele tempo, daquela pessoa, daqueles momentos.

Beijinhos *

- Jezebel disse...

obrigada afonso :$ em relação aos teus textos fica desde já a saber que gosto muito e que adoro a expressividade que neles penetras :)

Miquelina Giancomote disse...

gostei tanto. está tá tão profundo e sentido.

Alexandra disse...

Precisamos de muito mais do que apenas nós para sermos felizes. Quando nos vemos sozinhos pegamos nos cacos daquilo que resta e sobrevivemos. Não vivemos e muito menos conseguimos ser felizes. Mas se calhar é só a opinião de quem ainda está no início da perda, talvez melhore, talvez não. beijinhos *

silenciodosegredo disse...

adoro o teu blog $:

Qel disse...

sao tristes, situações dessas, deixam-nos vazios e eu ja nao sei falar destes assuntos..
adorei o filme e o livro e penso ter percebido mais do que o que desejava o que aqui escreveste. Um beijinho *

Qel disse...

*do que aqui escreveste (...)

Leto of the Crows disse...

As tuas palavras estão sempre revestidas de uma verdade profunda e tocante que baila sobre a lâmina da vida.

Beijinhos ^^

Secreta disse...

As saudades aniquilam-nos as certezas...
Beijito.