quinta-feira, 24 de dezembro de 2009


“O Natal é tão-somente um estado de espírito”


    Para aquela família, a noite de consoada nunca soou como pretexto para juntar todos os familiares, uma vez que todos eles vivem, desde sempre, bastante próximos uns dos outros. Apesar disso, o Natal continua a ser uma ocasião sempre bastante respeitada e vivida de forma intensa por todos. É a noite da exaltação das crianças, o entusiasmo por ver o Pai Natal e receber os presentes, e também noite de convívio entre os adultos e de usufruir da fantástica união familiar que vieram a construir ao longo de tantos anos. Todos eles têm a perfeita noção de que é raríssimo encontrar uma família tão unida como aquela, e que enquanto dentro de casa se festeja todos os anos essa união, lá fora haverão provavelmente muitas famílias que se juntam no Natal quase por obrigação, outras nem se juntam, havendo ainda aqueles que passam a noite de Natal sozinhos em casa… ou na rua. Essa ideia está bem presente em todos eles, especialmente na mãe, que acaba sempre por se sentir na obrigação de, no final da noite, agradecer a Deus a sorte que tem em poder ter uma família como aquela.
    Este ano, porém, aquela família está mais pobre. Na mesa, desta vez, está um lugar por preencher, uma eterna ausência totalmente insubstituível. Como normal, alguma tristeza vagueia por entre todos, especialmente pela tia, tristeza esta disfarçada pelo ambiente de ansiedade criado pelas crianças. Apesar disso, os momentos de convívio persistem e o silêncio nunca toma conta daquela família, que insiste em manter um ambiente minimamente animado, entre brincadeiras, gargalhadas e histórias contadas. A noite, então, prossegue, e às doze badaladas, a ansiedade acresce e faz-se sentir em todas as pequenas almas da família, momentos antes da tão aguardada chegada do Pai Natal. A mãe ri-se da histeria já habitual entre os miúdos, e o pai acha piada ao facto de continuar a conseguir manter a ‘farsa’ do homem gordo dos presentes, enquanto este entra pela porta de entrada, trazendo um enorme saco de presentes que distribui entre gargalhadas dos adultos e caras mórbidas e estupefactas dos miúdos. Estendem, um por um, a mão, agarrando no seu presente e deixando de lado o estado de petrificação em que se encontram para logo de seguida gritarem de exaltação e alegria desmedida. Missão cumprida, o Pai Natal despede-se das crianças e dos adultos e rapidamente sai de cena, dando lugar às trocas de presentes entre os familiares. A alegria toma conta da família, e mais uma vez, são as crianças a trazer felicidade para aquela casa. Os adultos voltam a sonhar, as crianças divertem-se e a lareira continua a aquecer o ambiente daquela sala.

Um Feliz Natal para todos,

Afonso Costa

15 comentários:

Dário Loução disse...

ADORO O POST *.* feliz natal para ti e para os teus e um voto de uma boa e excelente noite. Abraço <3

Laura Matos disse...

Tens tanto geito *.*

e a música afonsinho :3
beijinho querido <3

- jezebel disse...

É somente um estado de espírito...
Feliz Natal :)

inês chaplin disse...

um feliz natal *

maria da silva ♥ disse...

feliz natal :)

Dianne disse...

Bom Natal rapaz ;)

Alexandra disse...

Uma familia considera-se forte por não ter medo de notar o espaço vazio na mesa e conseguir ao mesmo tempo seguir em frente :) bom natal Afonso *

Mara disse...

És a perfeição em pessoa, Afonso. E essa familia parece sê-lo também.
Um Feliz Natal para vocês*

filipa disse...

está lindo afonso +.+

http://abebedorespgondufo.blogs.sapo.pt/ disse...

Boas Festas.

DANiela disse...

“O Natal é tão-somente um estado de espírito”, pois é.

diana disse...

Profundo.

Moonlight disse...

Afonso,

Que teu Natal tenha trazido paz,amor e alegria entra tantas outras coisas.
Inspiração não precisas pois tens de sobra,Parabens!

Bjinho cheio de luar

Brid disse...

Ok, já vim atrasada... rats! xD

Feliz Nataaal :)

Miguel disse...

A minhha árvore estava mais bonita :P ou melhor.. ainda está xD miss you you stupid boy :D

<3