sábado, 23 de maio de 2009



Uma espera eterna...

No cais dos desencontros ele espera por um reencontro. Nada mais lhe interessa, por isso, espera. Coitado, é mesmo só aquilo que lhe interessa. Está além de qualquer compreensão humana, chega a ser ridículo. Mas é a esperança que lhe dá forças. Tento compreender-te(me).

22 comentários:

Joana Éme. disse...

Uma compreensão sobrehumana, a tua.

Alexandra disse...

Nem sabes como me identifico com este post :x *

filipa disse...

este post *.*

V disse...

a esperança, essa que morre em último lugar *

Davi(d) disse...

identifiquei um pouco neste post, Afonso.

Lizzie disse...

Acho que muiita gente já passou por isso -.- "

Obrigada pelo comentário (:
Beijiinho

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Essa tendência de procurar algo onde qualquer coisa foi perdida, é tão socio-natural que me abespinha os sentidos.

Foi-se. Acabou.

Custa perceber. Custa entender. Mas é real. Depois, para contrair, existe essa tal "coisa" chamada esperança, que tantas vezes estupidifica a espera.

Abraço

sofia teixeira disse...

era bonito se não fosse sempre igual :)

Inês disse...

Há dias em que parece que estamos todos nesses cais dos desencontros...

(o pior é que nunca nos encontramos) *

Joana David disse...

(Não teria conseguido se não me tivessem feito ver que tê-las já não me valia de nada. Tem sido tão mais difícil apagá-lo do coração.)

Uma espera eterna ... tenho esperança que um dia acabe.


*

P' disse...

Identifico-me tanto. =$

Sandra S. disse...

Bonito post, acho que ja disseram tudo :)


bejinho

Porcelain Doll disse...

A esperança pode ser cruel... muito cruel... ridicularizar-nos sem dó nem piedade...

Mas olhemos bem ao nosso redor... existirá de facto alguém ridículo neste mundo, alguma coisa ridícula de verdade? Todos o somos em algum momento... faz parte, simplesmente...

Beijinhos!

Mar disse...

Gostei imenso deste post, identifiquei.me co ele :)
Quanto ao teu comentario:
Nem sempre é bom...! Por vezes, para nao sermos excluidos do resto da sociendade temos que aparentar ser como eles... alias, o meu problema é que nem as outras pessoas entendem a minha diferença. Uns sao gays, outros goticos, outros todos defigurados, outros parvos, ou entao demasiado bonzinhos... todas as pessoas sao diferentes, ha quem aceite isso, ou nao. Mas as pessoas podem nao entender a diferença mas perceber o porque dela.
Ou seja, por vezes é muito mau porque somos incompreendidos e temos de finjir ser normais..
Nao me estou a conseguir explicar bem x)desculpa
Beijinho grande :)

Bianca Nogueira disse...

Esperar faz bem. Enquanto esperas acreditas.

Maria Francisca disse...

Tenho uma coisinha para ti no meu blog. :)
Beijinhos*

Por entre o luar disse...

Será que a esperança ainda serve de alguma coisa?

Tento não sentir que a tenho, pois penso que ainda vou soofrer mais:S

beijinhoO afonso*

Joli disse...

Coitado não. Eu compreendo-o(te).

[ rod ] disse...

Eterno é tudo que se faz aqui no pensar. Tudo que se quer. Não tenho receios em acreditar no que alguem acha impossível.

Abçs,





Novo dogMa:
sAnto...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Uma coisa (dos blogues) para ti no meu blogue.

Abraço!

baby piggy disse...

Esperamos os dois, então.
Lá à frente do rio, mar (já não sei -.-) *

diana disse...

A vida e o amor são uma eterna espera.