quarta-feira, 6 de maio de 2009


Foto: Google

"A mudança não só é necessária à vida. É a própria vida."
Alvin Toffler

Foi no dia da estranha maré que os deuses partiram. Durante toda a manhã, sob um céu turvo e opaco, as águas da baía foram engrossando, atingindo alturas jamais vistas. As pequenas vagas insinuavam-se pela areia crestada que anos a fio apenas a chuva humedecera e lambiam a base das dunas. Lá ao fundo, o casco corroído do cargueiro parado no cais do porto há tantos anos que já ninguém se lembrava da última vez que surgira boato de que ia ser de novo lançado ao mar. Cedo aprendi a nadar, mas cedo desaprendi.

Depois daquele dia nunca mais voltei a nadar.

As aves marinhas soltavam guinchos e desciam a pique, excitadas por aquele imenso espectáculo que decorria na bacia de água. Naquele dia, aquelas aves pareciam estranhamente brancas. As ondas deixavam uma fímbria de espuma amarelada e suja ao longo da linha da água. Não se avistava uma vela de barco no horizonte distante. E apenas o farol me iluminava naquele dia que prenunciava tempestade. Não, nunca mais voltei a nadar. Muita gente, depois disso, caminhou sobre a minha sepultura, ou então deixavam flores como forma de dizer que não se tinham esquecido de mim.

Mas os tempos mudam, as vontades também... e inevitavelmente também as pessoas mudam. Não somos pedra, que vemos a vida passar à nossa frente sem nada fazer. Não somos duros como a pedra, somos moldáveis, e vamos mudando conforme as nossas necessidades, conforme o que o mundo faz de nós e à nossa volta, aos outros.

E quando, naquele cais, o sol voltou a brilhar, eu olhei-me nas, já paradas, águas que chegavam por ondas já bem pequenas à beira-mar - o meu reflexo mostrava-me ligeiramente diferente. Sim, eu mudei. E levantei-me da sepultura. Durante meses caminhei pelo cais, à deriva, apenas olhando o sol, até que encontrei as escadas. E quando cheguei ao topo das escadas, aí permaneci... olhando o pôr-do-sol, e esperando por um novo dia. Sorrindo.

Mudei, sim. Se é para pior, és tu que achas. Não vivo para te agradar, e hoje sou feliz, sim.

19 comentários:

Joana Éme. disse...

Gostei de ler tanta força junta, aqui, para variar um pouco, Afonso.
Deixa achar que é para pior, se és feliz é porque não é assim tanto, se o é sequer ;p

Estou eu viciada no teu cantinho, pode ser?

~ Jessica disse...

Adorei, adorei :D
Tanta coragem, tanta força. Tanta vontade de viver e de ser!
É tão bom voltar ser-se feliz. Fico contente por ti :)

Um beijinho *

Porcelain Doll disse...

O amor é, muito provavelmente, a coisa que mais no mundo leva ao erro... por, embuídos de tão nobre sentimento, considerarmos tudo ser, por ele, justificado... viver para agradar é, muito provavelmente, uma grande tirania a que se sujeita a alma... só mesmo por muito amor... e mesmo assim...

"O único tirano que aceitarei neste mundo é a pequena voz silenciosa do interior."
Mahatma Gandhi

Texto lindo... :-)

Bj

Por entre o luar disse...

=) amei Afonso... esta tão lindo*...*

Vou seguir o teu texto:P

beijinhoOoS*

Joana David disse...

Sim, eu mudei. E levantei-me da sepultura. Invejo a tua força, a tua vontade de mudança. *

Aubergine. disse...

"Não vivo para te agradar, e hoje sou feliz, sim. "

ainda bem !

:D

Bianca Nogueira disse...

Ninguém muda para pior, mas depende dos pontos de vista.

Marianita disse...

é sempre dificil aceitar que temos de mudar, mas quando notamos que mudamos e nos começamos a sentir melhor, parece que nos dá mais força, para sair da "sepultura".
"Não somos duros como a pedra, somos moldáveis, e vamos mudando conforme as nossas necessidades, conforme o que o mundo faz de nós e à nossa volta..." sim é verdade!
Fico feliz pela mudança e por estares a ser feliz =)
adorei e admiro toda a força =D
bjs

Alexandra disse...

Mudaste e escolheste viver, na minha opinião, só fizeste bem :) Mereces ser feliz, por isso força :D

Beijinhoo *

Paladar disse...

È bom mudarmos e crescermos com as mudanças. Pareces ser muito determinado :')

Beijinho Afonso

Ana Monteiro disse...

Estou a subir as escadas! Degrau a degrau ..

<3

AnaLuísa disse...

adorei como acabaste este texto. sê muito feliz Afonso :) *

Poemas e Cotidiano disse...

Nada como mudar, por nos mesmos, sem pensar o que os outros pensarao.
Nao importa o que digam. Importa mesmo o que sentimos, e principalmente se eh verdadeiro.
E senti como verdade.
Um beijo!
MARY

Joli disse...

Wow ^^ Todos mudamos, sim. Eu também mudei, e sou feliz :)

***

Catarina' disse...

Es feliz e é isso qe interessa *.*

Esta lindo, mesmo :D

Leto of the Crows disse...

Um texto fantástico que perpassa uma imagem magnânime. Todos deveriam fazer o mesmo ^^

Beijinhos!

Inês disse...

Mais uma vez identifico-me com o texto :')
E no último parágrafo então, Afonso, tens toda a razão, é assim mesmo! "Peace and Love, Relax and Be Happy" ;D

Gostei imenso (e ainda bem que partilhas comigo a adoração por Itália ahaha ^^) *

Rute' disse...

"Mas os tempos mudam, as vontades também... e inevitavelmente também as pessoas mudam. Não somos pedra, que vemos a vida passar à nossa frente sem nada fazer. Não somos duros como a pedra, somos moldáveis, e vamos mudando conforme as nossas necessidades, conforme o que o mundo faz de nós e à nossa volta, aos outros.". So damn true!
Mudar é mais benéfico que maléfico. Amei mesmo!
Ainda bem que a tua onda de textos :' ja vai um pouquinho longe.
"Get up, stand up" :)
Zeeeen, muito zen :b
Beijinho*

Pêjotinha' disse...

Senão fosses tu tão reles para mim e eu confessar-te-ia que venho aqui inúmeras vezes ler-te e reler-te e que de todas as vezes sorrio embevecida. Fazes-me sonhar. Fazes-me acordar. Fazes-me enlaçar nas tuas palavras como se numa dança intimista estivesse.

Assim não (a)