domingo, 29 de março de 2009

Devaneios


Imagem: Google
Música: If I gave you my life, Justin Nozuka


Não sei como começar este texto. É um facto.
Apenas sei que, nesta noite… sozinho e, sentado a fazer um trabalho, dou por mim, e sentindo já toda a gente a dormir, a pensar em ti. Aliás… És tu, sempre tu que invade os meus pensamentos… os meus sonhos também.
Quem te autoriza a invadires os meus sonhos? O meu único momento de descanso, e tu invade-lo sem dó nem piedade. (Sinto os teus beijos, o teu toque na minha pele, as minhas mãos no teu pescoço).
E aí acordo. E acordo a pensar em ti. A partir desse momento, de aí em diante, manhã, tarde, noite, momentos povoados com a tua já habitual presença/ausência. Penso em como me tens nas tuas mãos, em como cometi e continuo a cometer as mais variadas loucuras por ti. (e por mim)
Penso agora como gosto de pensamentos manchados pela cinza do cigarro, com aroma a café. Pensamentos (e sentimentos) que não se esfumam com uma beata no cinzeiro, uma chávena vazia e com tudo por beber. Gosto (tanto) de pensar em ti…
[ - És tão importante, tão tão importante!
- Não estava à espera do telefonema. Muito menos de ouvir isso.
- É a verdade. És tanto para mim.
- Tenho saudades tuas.
(...)
- Tranquei-te a grades no meu coração.
- E a chave?
- Tenho-a comigo.
- Deita-a fora. Não vais precisar de abrir a porta. Eu não sairei nunca.]

Gosto (tanto) de ti.
E gostar é tão pouco. Damn it! Que se lixe. Eu amo-te, mas é! :')

32 comentários:

baby piggy disse...

E eu continuo a admirar-te. Ora que raio! E eu tou acordada, oh :P *

AnaLuísa disse...

como eu sei o que isso é ..

Afonso :) *

Por entre o luar disse...

Que bonito... mas ao mesmo tempo triste, porque nao devia ser assim o amor...=)

beijinhos e sorriso*

A girl disse...

Acho que todas as raparigas gostavam de poder ler ou ouvir uma coisa assim e saber que eram o objecto de afecto de alguém. :)

Beijinho* e obrigado!

Alexandra disse...

Se não estivessemos sempre a pensar numa pessoa, a lembrarmo-nos do que sentimos é porque não a amávamos. Por isso, é tão bom que haja alguém sempre a invadir o nosso pensamento :)

Beijinho Afonsoo *

Joli disse...

Tão lindo *.*

[Eu sei, eu seeeeei que digo sempre o mesmo... mas não há mais nada que consiga dizer xD]

Acho que os teus textos são, para alem dos teus sentimentos, o reflexo dos sentimentos de muitos outros rapazes que não têm coragem para se expressarem dessa forma a quem amam. Continua*

anilorac ~ disse...

Adorei este teu cantinho.

Que alma tão bonita tens, que transpareces tudo em palavras, de forma tão simples. Obrigado, hoje ler-te soube-me p'la vida *

Aubergine. disse...

Que LINDDO *.*

Tanto mas tanto amor Afonso, consigo sentir aquilo que dizes, a imaginação toma conta de mim, mesmo que segundos depois volte à terra, o tempo de imaginação é óptimo :D

Beijinho *

Paladar disse...

Que textoo bonito :)

diana disse...

O mais importante é ela sabê-lo e puderes dizê-lo. O amor é mesmo assim, um pensamento constante que não nos larga.

Qel disse...

«Penso agora como gosto de pensamentos manchados pela cinza do cigarro, com aroma a café. Pensamentos (e sentimentos) que não se esfumam com uma beata no cinzeiro, uma chávena vazia e com tudo por beber».
Adorei a associação q fizeste e o senti/o q depositaste em cada palavra deste texto. A palavrinha final, a mais poderosa de todas, custou a sair mas lá a escreveste. Admirei muito isso, também.
Um beijinho *

Ana Monteiro disse...

A foto, a música, as palavras. Sorte de quem merecer o teu amor.

A tua vida parece estar a mudar <3

Joana Éme. disse...

está tão bonito Afonso, tão comovente..
não se fala assim do amor sem o sentir tão a fundo - transpareces. :')

catarinaramos. disse...

que texto, está tão bonito, tão cheio de sentimento. :)

Mintolita disse...

este soube tão bem ;)

Alexandra disse...

E é a melhor das frequências :D *

Joana David disse...

Não sei como começar este texto. É um facto.

Acontece-me tantas vezes... às vezes, há sentimentos difíceis de pôr em palavras, mas tu conseguiste.
Gostei das rasuras, das perguntas, da pontuação, do fim :')

Obrigada pelo teu comentário :)


*

Turista disse...

Tão inexplicável... tão doloroso.. tão essencial para nós... o Amor.

Texto cravejante, tão sentido que me arrasta a lágrima.. tão puro e belo que me deixa feliz pla tua felicidade.
Beijinho*

Ana Monteiro disse...

Obrigada, Afonso. Obrigada mesmo!
Não é fácil ter esta atitude perante as coisas, eu estou a tentar e sabe bem sentir também alguma força 'desse' lado.

Beijinho <3

catarinaramos. disse...

Obrigado Afonso, espero que encontres a felicidade também :)

Mintolita disse...

Gosto (tanto) dos teus textos.
*

Bárbara disse...

senti-me mesmo bem ao ler isto! :) está lindo. beijinho.

Inês disse...

Não há nada melhor do que amar e ser amado, digo eu :)

E conheço tão bem esse gosto por pensar em alguém, e recordar, e reviver, e ouvir palavras bonitas :')

Força, Afonso!
Um beijo.

. Rita disse...

Oh que lindo!

Inês disse...

acho que consigo. mas desde que finalmente o tirei de mim, tenho andado desinspirada...

texto lindo, este (:

Ana Rita disse...

Ás vezes mais vale dizer o que se sente do que guardar esse sentimento, essas palavras conosco.

Ana Rita disse...

Obrigada. Este teu texto tambem está... Lindo. E em relação ao meu texto, ele só me vem (re)lembrar de que a vida é feita do nosso passado, mas tambem do nosso presente.
Beijinho *

Mar disse...

És poderoso, sabias?:)
Obrigada pelo comentario ;).
Beijinho enorme,
Mar*

R' disse...

O amor faz-nos fazer e dizer as mais surreias coisas. Adorei*****

Leto of the Crows disse...

Um texto lindíssimo, sem dúvida alguma. Reflecte tão bem o que o espírito prende em si e que por vezes não quer deixar escapar...

Os meus parabéns ^^

Porcelain Doll disse...

Há quem nos invada os pensamentos sem querer... sem pedir licença... costuma ser bastante perigoso :-))E as ausências tornam-se insuportavelmente compridas e as presenças frustrantemente curtas... tanto fica por dizer... parece que todo o tempo do mundo não é suficiente!!

A insegurança de nos sentirmos agarrados por mãos alheias, mas a segurança de nos sentirmos amparados por essas mesmas mãos... e o medo que se sente que, por alguma loucura da vida, essas mãos, um dia, nos falhem...

Deliciosa, inebriante e irresistível montanha russa...

Gostar é tão pouco... :-))

Mara disse...

Qualquer rapariga gostaria que um rapaz sentisse isso por ela. Seja ela quem for...tem muita sorte ;)

Adoro os teus textos...ando para aqui a deliciar-me