sexta-feira, 16 de abril de 2010


Respostas

O horizonte é talvez a coisa mais paradoxal que eu conheço na minha vida; consegue ser tão complexo e tão simples ao mesmo tempo. Talvez seja por isso que sabe tão bem ficar sentado, fitando aquela imensa linha do nada, durante horas a fio. Para mim, a sensação de paz que me é transmitida é inigualável, talvez mesmo indescritível. Consigo somente embalar-me no som do movimento das águas do mar e confortar-me no calor do sol, enquanto, por eternos momentos, prendo o meu olhar àquela 'linha do nada', que me simplifica a forma de ver o mundo e de sentir a vida, aproveitando para me aventurar a encontrar respostas às minhas  inacabáveis perguntas... ou talvez mesmo a compreender as próprias perguntas.
Sempre ouvi dizer que mais feliz é aquele que não tem tempo para pensar e que por isso não tem perguntas a fazer nem respostas a encontrar, porém cada um é como é, e eu nasci com a estúpida vontade de perguntar ao mundo porque é que ele existe. Mas o facto é que as respostas estão sempre onde eu mais simplifico a vida: sentado de frente para o mar, horas a fio, onde penso em mim, em ti, nos outros e naquilo que me preocupa.
Estes dias perdi-me para me reencontrar. E reencontrei-me.

12 comentários:

disse...

Sabe tão bem: partir para depois voltar, ainda que não seja preciso sair do lugar.


Sempre tão bem Afonso (:

Por entre o luar disse...

Ameiiii =)

BeijinhoO

filipa disse...

Ainda bem que te reencontras-te :)

Joana disse...

Como te percebo...

Martina disse...

Talvez seja quando o nada nos diz muito, e o melhor nos diz nada, que encontramos as perguntas que fizemos no tempo que as respostas sabiam a pouco.
E aprendemos tanto entre o trajecto.

m.sunshine disse...

o nosso sangue, não é mais do que um bocado de mar cheio da cor do amor.

Anónimo disse...

Por vezes a melhor resposta é aquela que vêm do silêncio, ou de um som que pode ser entendido como tu bem quiseres...mas as respostas no fundo estão sempre dentro de nós próprios, é preciso é chegar a elas...



MiLLion

Paula disse...

'e eu nasci com a estúpida vontade de perguntar ao mundo porque é que ele existe. Mas o facto é que as respostas estão sempre onde eu mais simplifico a vida'

As respostas estao sempre na simplicidade das coisas e de nos. E por vezes procuramos tanto com elas dentro de nos. Eu ainda procuro algumas e tenho a sensaçao de que havera sempre algo a descobrir e a perguntar. (:

S* disse...

Essa procura interior é a coisa mais difícil que fazemos na vida.

Gostei imenso da foto...

Constança Perez disse...

são palavras de quem se perdeu e esta a reencontra-se, tal como tu
boa foto e bom texto :)

Anónimo disse...

Os teus textos dizem-me tanto.
Exprimas tão bem as emoções que também eu sinto, que parece que estou a ler textos da minha própria autoria. Apesar de saber perfeitamente, que não conseguiria escrever tão bem como tu.
Perco horas a olhar para essa linha, gritando coisas ao vento, perseguindo perguntas, até encontrar respostas. Cada vez tenho mais perguntas, cada vez maior é o tempo dispensado à olhar para essa linha complexa, mas simples.

Foto linda, texto ainda melhor.

Mara disse...

És poesia no seu estado máximo.
adorei a foto*

p.s. deixei-te um convite para acederes ao meu blog (se quiseres claro)
espero que o tenhas recebido


beijinho