sexta-feira, 8 de janeiro de 2010


"Lutar pelo amor é bom, mas alcançá-lo sem luta é melhor."
William Shakespeare


(Excerto de um dos meus textos)
"Em pensar que é tão vulgar dizer Amo-te, tão vazio, tão sem conteúdo, sem razão. Mas não tão vulgar dizer por palavras todas as razões pelas quais te amo. A verdade é só uma, e no meio das histórias relidas, dos dias revisitados, dos abraços e troca de beijos revividos, das palavras que não se disseram e dos olhares que por amor se falaram, a verdade continua a ser uma e só uma. Complexa e tão simples, incompreensível e tão fácil de perceber, tão cruel e tão encantadora, simplesmente incontestável… No cruzamento da realidade com o sonho, tu és a força do vento do deserto acordado em mim, a bravura das ondas dos oceanos, és intemporal – o tempo não existe, o tempo não é nada – és tudo na terra e no céu. Sem ti não se respira, não se vê, não se sente, não se ouve nem se toca. És os cinco sentidos e um outro sexto, és a inigualável radiância que o sol me traz. És um tudo, um nada que se sente, és a bravura dos oceanos, o agitar das ondas, a incomensurável força do vento, o eterno brilho das estrelas, és o encanto afrodisíaco que a lua provoca, és o imenso verde de todos os campos e pradarias, és o prazer de um irresistível chocolate, o erotismo de um poderoso incenso que me enfeitiça.
Amo-te nas 3 dimensões, desde aqui até á lua e desde a lua até aqui. Amo-te nos quatro elementos da vida, nas quatro estações, nos quatro pontos cardeais. Amo-te no passado, no presente e no futuro, nos cinco sentidos, nas sete cores do arco-íris, nas sete notas musicais, nos doze signos do zodíaco.
Amo-te na agitação e na calmaria, na música e no silêncio, nas palavras e nos olhares, na terra e no mar, no céu e em todo o lado… amo-te em toda a criação.
Amo-te no caos ou na mais absoluta paz, no vento que vem do norte, na linha do horizonte, no mar ou na pequena fonte, nas nuvens grávidas de chuva ou nos dias sorridentes de sol. Amo-te no amor e no ódio, nos bons dias e nos maus dias, na mais bela árvore ou na mais seca das folhas, na montanha majestosa e nas constelações que te formam aos meus olhos todas as noites, no mais pequeno átomo ou na maior das coisas que possa existir… Eu amo-te para além de qualquer compreensão humana.
Amo-te na plenitude da lida e no ocaso da vida… e depois que eu me for, nas lembranças que porventura eu deixar, hás-de encontrar perfumados e palpitantes restos do que foi e sempre será o meu amor por ti.
E no final, chego à conclusão de que descobri o actual sentido da minha existência. Amar-te, amar-te e amar-te, por seres tanto, tanto, tanto (...)"

Afonso Costa

14 comentários:

Mara disse...

Olha Afonso, o teu melhor texto, aquele que mais me comoveu, aquele que mais me fez ter a certeza que, também eu, preciso que alguém me ame dessa forma. Porque acho que, tudo o que for abaixo disto que aqui escreveste e sentiste,é muito pouco.

filipa disse...

está tão bonito afonso, ao sentido :$

Dário Loução disse...

emocionei-me. o melhor texto deste blog e tu sabes bem, foi muito muito sentido. :$ amei. abraço <3

Paula disse...

A foto está única. O texto complementa-a. A frase desperta a atenção deixando-nos pensativos. Excelente combinação.


Gostei (:

Anónimo disse...

Há que sentir os sentimentos...e acho que isto diz tudo! Mais um grande texto vindo de uma pessoa que admiro imenso! Parabéns pela emoção que dás às palavras!


MiLLion

Niqui disse...

Que profundo .

Davie disse...

Que posso dizer para além do que as outras pessoas disseram?
Que encantas, Afonso.

inês chaplin disse...

os teus textos são simplesmente fantásticos!

'stracci disse...

O texto está, sem dúvida, lindo. Mas, mais do que o texto, 'invejo' o sentimento que está por detrás dele.

zir disse...

fantástico. óptimo texto e fotografia. :) *

eduarda disse...

escreves tão mas tão bem afonso *

Joana disse...

Li de um trago só. Quero mais!
Parabéns!

Anónimo disse...

Adoro este texto :)
é realmente bonito, e acima de tudo, sinto - o :)
precisamente por isso, achei que deverias saber que encontrei este texto chapado num fotolog, sem autoria e com aviso NAO COPIAR. se ha coisa que odeio,é plágio :)

http://www.fotolog.com/popasantos_13/68401167

Anónimo disse...

p.s- continua o excelente trabalho :)

P.