sexta-feira, 21 de agosto de 2009

"Se apenas houvesse uma única verdade, não poderiam pintar-se cem telas sobre o mesmo tema."
Pablo Picasso



Esta é a minha essência, não a tua, nem a vossa.

Quando de dia me levanto e me olho ao espelho vejo uma pessoa. Essa pessoa tem uma cara própria, e nenhuma outra terá uma igual em todo o planeta. O seu corpo também se difere e nunca ninguém terá um igual; no máximo semelhante. Os seus olhos castanhos podem partilhar a mesma cor com outras pessoas; não partilham, porém, a mesma força, as mesmas riscas acastanhadas que percorrem a retina, nem a personalidade que passam para fora da alma.

"Chega Afonso! Tens que perceber o que é certo e o que é errado..."

Essa pessoa que vejo ao espelho não se assemelha a ninguém que conheço, nem fisicamente nem psicologicamente. E é ao fechar os olhos, que entro na questão espiritual da coisa. Por dentro vejo-me sempre (sempre) diferente. Isso pode ser bom, pode ser mau. Mas se pegarmos na questão de que todas as pessoas são diferentes umas das outras, então não será assim tão mau. Talvez por sermos todos diferentes, não devêssemos agir da mesma maneira. Mas há comportamentos, ideias, formas de ver a vida que se pegam, por diversas razões. E algumas delas são o bom senso, a experiência de vida, a maturidade. Muitas são as pessoas que por terem uma grande maturidade, e uma boa experiência de vida, atentam nos pormenores da vida, alheios aos olhos de muito boa gente, e acabam por tirar deles conclusões que tomam como as correctas. Também em relação às atitudes, comportamentos, formas de agir isso acontece.

"Tens uma vida inteira pela frente. Chega Afonso! Chega!"

Muitas vezes as pessoas fartam-se do que fazem, e mudam; mudam consoante aquilo que sentem que devem mudar, e o que sentem é muitas vezes influenciado por aquilo que os outros lhes dizem, pela sociedade, pelo mundo que vêm à sua volta. Desobedecem constantemente à sua personalidade, à sua essência...

"Segue em frente, não sofras mais"

Primeiro que tudo, a vida não se vive sem se sofrer; quem acha que pode viver sem sofrer está redondamente enganado. Segundo: eu nasci, cresci, mudei, e continuarei a mudar ao longo da minha vida. Mas os valores que me passaram, os ideais que cresceram comigo, a perspectiva que tenho da vida, tudo isso não muda há vinte anos. Não mudam e nunca mudarão. E essa é a minha razão. É a minha essência. Não a tua, nem a vossa. É simplesmente aquilo que eu sou, e não pretendo morrer sabendo que fiz o que os outros fariam. Porque eu faço aquilo que sempre fiz, que sempre faria, que sempre farei. Nunca desisti de nada, e se não puder ter aquilo que eu quero, pelo menos não morrerei com o peso de não ter lutado por aquilo que considero o mais importante; porque tudo o resto eu já conquistei: o amor.

Peço desculpa a quem desiludo com as minhas atitudes, com as minhas tentativas de voltar a trazer para perto de mim quem eu amo, mas nunca desisti de ninguém nesta vida, nem de amigos, nem de familiares, nem de quem amei ao longo de todos estes anos. Muito menos desistirei de ti, o verdadeiro amor da minha vida. Não é de mim fazê-lo, por isso peço a quem me diz "chega!", que me deixe viver na minha razão, que me deixe sentir, que me deixe um dia morrer sabendo que mantive a minha essência, que o Afonso nasceu assim e morrerá tal e qual assim. Amo-me dessa maneira, e a pessoa que me fez amar assim, é a pessoa que eu mais amo, e por quem nunca desistirei de lutar.

ASA <3

Ponto e vírgula.

Afonso Costa, 21 de Agosto de 2009 (e passou, hoje, um ano que tudo começou)

12 comentários:

Por entre o luar disse...

Pronto não vou dizer chegaaa...
Vou apenas dizer: " Se um dia perdermos o estímulo de luta, é porque já nada nos prende nesta vida..."

(Silencio...)

BeijinhoOooOs

Por entre o luar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
U disse...

acho que nunca disse chega.
seja o que tu quiseres, tens força para isso, não tens?
só resta dizer que tens o meu apoio!

*

Porcelain Doll disse...

Olha, Afonso, mas já agora... dizes que tens muita experiência de vida... eu dou muito valor a isso, pois embora ache que a experiência interna deve vir primeiro, falta-me ainda experiência do mundo exterior... será que poderias falar-nos um pouco a esse respeito?

Obrigada.

mary ♥ disse...

"Primeiro que tudo, a vida não se vive sem se sofrer; quem acha que pode viver sem sofrer está redondamente enganado." Repleto de razão.

Quando deixas de ter razões para lutar deixas de ter razões para viver.
Não pares, não sigas em frente.
Fica e luta, até não haver ponta por onde se lhe pegue.
Dá tudo de ti. Tudo.
Não pares.
Não esqueças quem és nem o que te move.
Aprecio essa força ;)

Maria Francisca disse...

Então luta, há gente a apoiar-te.
Não tenhas medo de que corra mal, porque mesmo se correr vais ter esse amor, vais ter esse Afonso.
E como eu sempre gostei da força desse Afonso. *

Lia Araújo disse...

Afonso, parabens pela coragem! Queria ter essa força e determinação! Porém, estou tão dilacerada pelo amor da minha vida, depois de tanto insistir que eu todos os dias penso em desistir!
PARABÉNS, ADMIRO-TE!

diana disse...

Li, uma vez, que existem três verdades: a tua, a minha e a verdade. Este texto fez-me recordar essa frase que li. Falas de sentimentos com uma naturalidade deliciosa.

Ana Monteiro disse...

Tempo p'ra seguir em frente, crescer e conhecer novos rumos!

Carla Rosenvelt disse...

Uma das maiores certezas é ser quem escolhemos, quem gostamos, quem crescemos dentro de nós mesmos.

Beijo.

Miguel disse...

EU estou aqui para o que der e vier! :)

Tu sabes que sim!

<3

Joli disse...

Uau ^^ Já tinha saudades de vir aqui. Eu admiro-te muito, a sério que sim. Tu simplesmente não desistes dessa pessoa, por a amares assim tanto. É preciso ter muita força, coragem e carácter. Espero que um dia possa entregar todo esse amor que tens no teu peito, cheio.

Beijinho*